segunda-feira, 18 de julho de 2011

Todos os meus mortos



Hoje convoco todos os meus mortos.
Hoje quero os seus sorrisos.
Quero as suas mãos no meu cabelo. Quero os seus gestos contidos. Quero os seus olhares perdidos. Quero choros e gemidos.
Quero sobretudo vê-los.

11 comentários:

Anónimo disse...

agora sempre tão ausente... sinto falta dos seus posts...
abraço
J

Anónimo disse...

Encontrei teu blog por acaso e sinto falta dos teus posts. Sempre volto, à espera. Um abraço e obrigada

Elaine disse...

Não te demores em tua solidão, pois deixas minha solidão inda mais inabitada.

ELAS disse...

Também quero meus mortos!!! bju

Thiago Domingues disse...

Pedro!
Nestes passeios que fazemos mundo virtual a fora, deparei-me com o seu ilustre espaço poético.
Que forma admirável que dá ao sentimento as palavras!
Voltarei mais vezes!
Abraços!

Anónimo disse...

Pois então: é como eu disse. Sempre volto! Espero que retorne também... Seu blog é como um amigo para mim.
Um abraço!

Anónimo disse...

Descobri o seu Blog por um acaso feliz. Parece-me que já não se inquieta a escrever por aqui,fico desolada. Mesmo assim, gostaria de lhe dizer que as minhas inquietudes, de alguém que infelizmente não as consegue extravasar pela escrita, usou as suas, por longas horas, porque lhe soaram mais fortes que a próprio pensamento. De certo que os agradecimentos de uma desconhecida não lhe dizem nada, mas é o que me resta....Inês

je suis...noir disse...

Saudades disto! Não dá para voltar?

quero este blog "aqui" comigo...

Elaine Maciel disse...

Estás fazendo falta, querido amigo!

Elaine Maciel disse...

Estás fazendo falta, querido amigo!

Elaine Maciel disse...

Tua quietude me inquieta, caro amigo! Saudade de suas postagens.